Prancheta3@2x.jpg

/ Conheça os professores do Amerek

Yurij Castelfranchi - Coordenador do Amerek

Yurij Castelfranchi é um sapo. Pior, um sapo azul. Anfíbio, da cor das saudades, não chega a ser brasileiro e já desistiu de ser um italiano. Nem de terra, nem de mar, nem de cidade nem de floresta, nem só de exatas nem apenas de humanas, ele é físico teórico há três décadas, jornalista de ciências e divulgador há duas, professor de sociologia há uma. Acredita que, na ciência, na vida e na política, os segredos sejam hacking, gambiarras, recombinações e coisas mistas e anfíbias: tenta estar em experiências e cursos transdisciplinares, nos interstícios e nas misturas entre corpos e ciências, artes e tecnologia. Especialista de nada, mas curioso de coisas diferentes, escreveu livros sobre transgênicos, inteligência artificial, história da Terra, Amazônia, e sobre a comunicação da ciência. Atua hoje na área dos STS (Science and Technology Studies), com pesquisas na sociologia e antropologia da C&T, na percepção pública da ciência, política dos algoritmos, sociologia dos robôs e ciência e tecnologia na mídia e nas artes. Atualmente coordena o Amerek e é docente do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) da UFMG. Foi diretor da Diretoria de Divulgação Científica da Pró-Reitoria de Extensão da UFMG de 2018 a 2019.

adlane.png

Adlane Vilas-Boas Ferreira. "Sou uma bióloga e geneticista apaixonada por ajudar as pessoas a serem melhor pelo conhecimento do mundo e de si mesmas. Faço divulgação científica produzindo programas de rádio, textos e materiais expositivos e didáticos de ciência. Além da Especialização Amerek, oriento estudantes em três programas de pós-graduação da UFMG: Genética e ProfBio, no Instituto de Ciências Biológicas; Promestre, na Faculdade de Educação".

bernardoesteves.png

Bernardo Esteves. "Sou jornalista e há quase vinte anos, ganho a vida escrevendo sobre ciência, tecnologia, meio ambiente e saúde. Nasci em Belo Horizonte e me formei na Fafich, na UFMG, mas hoje moro no Rio de Janeiro, onde fica a sede da piauí, a revista para a qual trabalho desde 2010. No Amerek, serei o responsável pelo Laboratório de Jornalismo Científico, uma disciplina em que os alunos vão colocar a mão na massa para aprender os principais fundamentos dessa prática"

biaguimaraes.png

Bia Guimarães é jornalista e mestra em Divulgação Científica e Cultural pelo Labjor/Unicamp. Além de apresentar o 37 Graus, é sócia-fundadora do Laboratório 37, uma empresa de comunicação e produções em áudio. O 37 Graus é um podcast que conta histórias por trás de transformações do Brasil, seja nas paisagens ou na cultura. Sarah Azoubel e Bia Guimarães viajam com os gravadores nas mãos para conversar com cientistas que investigam essas mudanças e com pessoas que as vivem no dia a dia. No Amerek, estará na Oficina de Podcasts.

blandinaviana.png

Blandina Viana, responsável pela disciplina "Cência Cidadã", é bióloga, agrônoma, doutora em ecologia, professora da UFBA, interessada em novas narrativas de comunicação do conhecimento cientifico para aproximar a ciência da sociedade e na ciência cidadã como estratégia para promover mudanças de atitude em relação ao uso e conservação da biodiversidade.

camilalaranjeira.png

Camila Laranjeira é Mestre em Ciência da Computação pela UFMG e criadora do canal Peixe Babel no Youtube, onde traz temas relacionados a sua vida acadêmica de forma acessível e usando o entretenimento como facilitador na transmissão do conhecimento. Na disciplina de divulgação científica em vídeo irá compartilhar a sua experiência em 5 anos de produção na Internet, debatendo sobre linguagem e formatos ideais para essa mídia de divulgação.

carensouza.png

Caren Souza."Eu sou Caren, bióloga, pesquisadora do INCT IN-TREE e doutoranda no PPG Ecologia Teoria, Aplicação e Valores, na UFBA. Sou uma entusiasta da ciência cidadã, método de participação pública na ciência, pois acredito que esta é uma maneira criativa e inovadora de democratizar a ciência através de estratégias de ensino e engajamento de não cientistas."

carlosdandrea.png

Carlos d'Andréa é inquieto e, talvez por isso, há duas décadas tenta entender e pesquisar a internet e suas muitas transformações. Desde 2012 é professor do Departamento de Comunicação Social da UFMG. Em 2017/2018, foi pesquisador visitante na Universidade de Amsterdã, na Holanda. Coordena o grupo R-EST - estudos redes sociotécnicas. No Amerek, será responsável pelos Tópicos em Comunicaçao da Ciência: Plataformas de mídias sociais.

ericadesouza.png

Érica Renata de Souza "Sou antropóloga e feminista, com Doutorado em Ciências Sociais, mestrado em Antropologia e graduação em Pedagogia pela UNICAMP. Professora Associada do Departamento de Antropologia e Arqueologia da UFMG, tenho realizado pesquisas sobre gênero há 27 anos e cada vez mais promovido a interseção entre gênero e ciência. Atualmente sou pós-doutoranda no Departamento de Política Científica e Tecnologica do Instituto de Geociências da UNICAMP, pesquisando a prevenção da Doença de Alzheimer em mulheres, a partir de uma perspectiva feminista interseccional."

gabrielamarques.png

Gabriela Marques Di Giulio é doutora em Ambiente e Sociedade (Unicamp) e docente do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP). Integra o Grupo de Pesquisa Meio Ambiente e Sociedade do Instituto de Estudos Avançados da USP e a rede Coalizão Ciência e Sociedade; é pesquisadora permanente do Núcleo Interdisciplinar de Estudos em Ciências Sociais e Sustentabilidade (NIECSS) e da Rede Ibero-americana de Pesquisa em Ambiente e Sociedade. Seus interesses de pesquisa incluem Ciência e Comunicação; Riscos e Incertezas; Dimensões Humanas das Mudanças Climáticas.

geanealzamora.png

Geane Carvalho Alzamora é professora do Departamento de Comunicação Social da UFMG, bolsista de produtividade (CNPq), pesquisadora do Núcleo de Conexões Intermídia (NucCon), coordenadora do Projeto Estruturante de Ensino Laboratório de Conexões Intermídia (LabCon). Seus temas prioritários de interesse são: comunicação transmídia; educação transmídia; mobilização social em conexões online/offline; jornalismo e participação cidadã. Irá ministrar a disciplina de Transmídia e Divulgação Científica no Amerek.

hugofernandes.png

Hugo Fernandes-Ferreira é Biólogo, Doutor em Zoologia com Pós-Doutorado em Ecologia. É Professor da Universidade Estadual do Ceará, onde se divide em dois mundos. No Laboratório de Conservação de Vertebrados Terrestres (Converte), desenvolve pesquisas analisando o impacto humano sobre a fauna nativa. No Núcleo de Divulgação Científica (Ciente), desenvolve atividades presenciais, documentários, material para redes sociais e elabora dois programas para a TV Jangadeiro (filial do SBT no estado) e uma coluna na rádio Band News FM. É conselheiro do selo Science Vlogs Brasil, grantee do Instituto Serrapilheira e alcança mais de 1 milhão de pessoas por mês.
Quais caminhos e métodos um divulgador pode trilhar para acessar os espaços de rádio e televisão? No Amerek, o professor irá mostrar que, mesmo na Era da Internet, o Velho Mundo da Comunicação ainda é um instrumento fundamental para a democratização da Ciência.

lorenatarcia.png

Lorena Tárcia. Jornalista, pós-doutora em comunicação pela UFMG, apaixonada por tecnologias e narrativas de interesse público. Desenvolve projetos transmídia de educação em países de língua portuguesa, como Moçambique e Timor-Leste. Bolsista do projeto Minas Faz Ciência, da Fapemig. Professora no Centro Universitário de Belo Horizonte, coordena pós-graduação Produção em Jornalismo Digital na PUC Minas e é sócia da Quando Fábrica de Narrativas, empresa de comunicação experimental, formação e consultoria em estratégias digitais.

lucianabicalho.png

Luciana Andrade Gomes Bicalho é jornalista, professora e consultora em Comunicação e Marketing Digital. Doutora em Comunicação Social pela UFMG e especialista em planejamento e produção transmídia. Pesquisadora do Centro de Convergência de Novas Mídias (CCNM/UFMG) e do Núcleo de Pesquisa em Conexões Intermidiáticas (NucCon/UFMG). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Linguagens e Teorias da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento, produção de conteúdo, comunicação digital, semiótica, intermidialidade, transmídia e storytelling. Irá ministrar a disciplina de Transmídia e Divulgação Científica no Amerek.

mardencampos.png

Marden Campos. Tópicos em Jornalismo de dados - "Dedico-me desde a década de 1990 a tentativas de captura de fenômenos sociais por meio de pesquisas quantitativas. Ao longo de mais de 15 anos de trabalho no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e, mais recentemente, nas atividades de pesquisa, ensino e orientação realizadas na Escola Nacional de Ciências Estatísticas e na Universidade Federal de Minas Gerais, procuro problematizar os processos de transformação da realidade em número e, concomitantemente, nas formas como a sociedade lê e se apropria desses números."

marinafonseca.png

Marina Assis Fonseca. História da Cultura Científica - "Sou professora da Faculdade de Educação da UFMG, atuando nas linhas de Ensino de ciências e Museus e Divulgação Científica do PROMESTRE, e também junto aos licenciandos de Ciências Biológicas e Pedagogia. Sou doutora em História da Ciência, campo pelo qual me interessei ainda enquanto professora de ciências da educação básica em redes públicas e privadas de BH. Meus interesses de pesquisa são no campo da cultura científica, seus valores e formas de difusão. Além disso, me divirto e aprendo muito sendo a mãe do Elias, de 4 anos."

mauroconde.png

Mauro Lúcio Condé. “Sou um apaixonado pela ciência e sua história e, por causa disso, acabei virando professor de história da ciência na UFMG, onde sou professor titular. Me formei em filosofia e fiz meu doutorado também nessa área procurando compreender as relações entre linguagem e conhecimento. Sempre me interessei em saber qual o papel da linguagem na produção do conhecimento e, para isso, nada melhor do que analisar a história da ciência. Sou editor-chefe da revista Transversal: International Journal for the Historiography of Science (historiographyofscience.org) e, atualmente, sou coordenador do curso de Pós-Graduação em História da UFMG. Tenho outra paixão, a qual me dedico sempre que posso, que é tocar saxofone e flauta. Gosto muito de tocar bossa nova e jazz”

Roberto Takata é Especialista em Jornalismo Científico pelo Labjor/Unicamp, com o qual colabora em projetos como o podcast Oxigênio e a rede de Blogs de Ciência da Unicamp. Atualmente é professor visitante da DDC/Fafich/UFMG. Recomenda: Ouçam Fiona Apple, me agradeçam depois. Vai, Corinthians!

sarahazoubel.png

Sarah Azoubel. Oficina de podcasts - É doutora em biologia pela Universidade da Califórnia em San Diego. Depois do doutorado, se especializou em jornalismo científico no Labjor/Unicamp. Além de apresentar o 37 Graus, é sócia-fundadora do Laboratório 37, uma empresa de comunicação e produções em áudio. O 37 Graus é um podcast que conta histórias por trás de transformações do Brasil, seja nas paisagens ou na cultura. Sarah Azoubel e Bia Guimarães viajam com os gravadores nas mãos para conversar com cientistas que investigam essas mudanças e com pessoas que as vivem no dia a dia.

silvanianascimento.png

"Eu sou Silvania Nascimento, física e curadora em Ciências e Tecnologias. Curadora significa que cuido, com carinho e atenção, de conteúdos de Ciências Experimentais e Tecnologias em sua viagem do mundo de produção para os muitos dispositivos de circulação na sociedade contemporânea. Em particular trabalho o desenvolvimento e a avaliação desses dispositivos em espaços de divulgação científica. Vou trabalhar na especialização com uma disciplina de avaliação de cenários e outra de produção cultural!"

taniamargarida.png

Tânia Margarida é Professora Titular da UFMG, Doutora em Educação Matemática pela PUC/SP, Mestre em Educação Matemática pela Universidade Santa Úrsula/RJ, Especialista em Matemática Superior pela PUC/MG e Especialista em Formação de Agentes de Cultura Cientifica pela Organização dos Estados Ibero-Americanos - OEI. Líder de grupo de pesquisa no CNPQ e colaboradora de grupo de pesquisa no Centro Pedagógico da UFMG. Como gestora, foi Vice-Diretora e Diretora do Centro Pedagógico em vários mandatos e Diretora Geral da Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG - EBAP/UFMG. Atualmente, é Vice-Diretora Geral da EBAP/UFMG. Idealizadora, criadora e curadora das exposições do Museu Itinerante Ponto UFMG de Ciência e Tecnologia. Foi Curadora na criação e implantação da Casa do Jardim de Mariana/MG. Idealizadora e coordenadora da Feira Brasileira de Ciência e Tecnologia dos Colégios de Aplicação e Institutos Federais – FEBRAT. Compõe a diretoria da ABCMC - Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência.

vanessafagundes.png

Vanessa Fagundes. Comunicação das ciências em instituições de pesquisa - Jornalista, formada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Especialista em História da Ciência (UFMG), mestre em Divulgação Científica e Cultural (Unicamp) e doutoranda da linha de pesquisa em Sociologia do Conhecimento, da Ciência e da Tecnologia (UFMG). Assessora de comunicação da FAPEMIG e coordenadora do programa de divulgação científica Minas Faz Ciência.

veronasegantini.png

Verona Segantini. Tópicos avançados em museus e centros de ciência - Professora da Escola de Belas Artes da UFMG, historiadora e designer, mestre e doutora em educação. Participa de vários projetos nos museus e espaços de ciência e cultura universitários. Coordena o Laboratório de Expografia do Curso de Museologia da UFMG e o Campus Cultural UFMG em Tiradentes.

WhatsApp Image 2021-03-17 at 15.41.56.jpeg

Verônica Soares da Costa. Responsável pelo Laboratório de Divulgação Científica em Mídias Sociais. Apaixonou-se pela divulgação científica ainda no ensino médio. Hoje, atua como jornalista no projeto Minas Faz Ciência, enquanto dá aulas sobre comunicação e jornalismo digital e pesquisa a divulgação científica no entrelaçamento com temas como sexismo e desigualdade de gênero. É mestre em História, Política e Bens Culturais pelo CPDOC/FGV e Doutora em Comunicação pela UFMG.

virginiamota.png

Virgínia Mota. Oficina de videoblogs e YouTube. - Virgínia possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2008), mestrado em Modelagem Computacional pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2011), mestrado em Master 2 SYSTÈMES INTELLIGENTS ET COMMUNICANTS - ENSEA/Université de Cergy-Pontoise (2010) e doutorado em Ciência da Computação na Universidade Federal de Minas Gerais (2018). Atualmente, é professora do Setor de Informática do COLTEC/UFMG. É co-criadora do Canal Peixe Babel, no qual Camila e ela abordam os temas Tecnologia, Inteligência Artificial, Programação e Atualidades da área.

Av. Presidente Antônio Carlos, 6627 -Pampulha - Belo Horizonte, MG